Ardência, do poeta Thiago Medeiros: o ardor de um livro necessário

“Cuidado com os silêncios” é um dos avisos que o poeta potiguar Thiago Medeiros deixa em uma das primeiras páginas de seu mais novo livro de poemas. “Ardência” é o terceiro livro do autor e foi lançado em 21 de junho, através de uma live no Instagram, quando compartilhou com amigos e público uma série emocionante de leituras e canções.

Thiago Medeiros | foto por © Diogo Ferreira

Sobre o momento singular que vivemos e a experiência da celebração em isolamento, Thiago disse que “lançar um livro virtualmente, logo eu que gosto dos abraços e festejos, me deu esperança e certeza no meio desse caos de que não estou sozinho, foi uma tarde linda de retroalimentar o amor, saúde e a esperança, fico feliz que pessoas abram suas casas com afeto e amor para que a poesia seja a trilha sonora, isso tem fortalecido os dias distantes dos abraços.”


O livro reúne poemas e colagens que orbitam em torno dos temas que causam a ardência anunciada no título e que tecem uma trama que progride sobre o amor, o desejo, a perda, a renúncia, a luta, a arte e tantas outros temas tão íntimos, sempre sob o claro olhar de seu tempo.



Além de poeta, Thiago Medeiros é ator e desenvolve o projeto Insurgências Poéticas, em que declama poesia ao lado de outros escritores. Os eventos envolvem também os espectadores em um processo de catarse através do poema. Não obstante, sua poesia parece feita para ser lida em voz alta, para romper os silêncios de que o momento antes do verso é constituído. Sobre isso, Thiago diz “eu tento escrever como se estivesse olhando para alguém e como se estivesse sendo visto”, certamente uma das chaves para nos conduzir à intimidade de sua palavra.


No livro há um entrelaçamento das sensações físicas e emocionais de ardência presentes nos seuspoemas e exteriorizadas especialmente nos símbolos que indicam as diferentes partes do texto: azia, queimadura, insolação, braseiro, entre outras. Essa divisão compõe e traça o caminho do leitor, que deve estar atento ao que se revela em cada poesia, a cada emoção que explode frequentemente desde o primeiro verso de cada uma.


“Ardência” é de fato um livro necessário para estes tempos, mas também para outros. A palavra de Thiago Medeiros é um testemunho afetivo e poético de imensa capacidade de comoção e beleza, como se pode perceber nos poemas abaixo, escolhidos pelo autor e presentes no livro.


não se demore


teu sigilo não me serve

ele mata diariamente

teu amor escondido pela madrugada não me serve

teu sexo embriagado depois da festa não me serve

tua pele clara, teus dentes brancos me chamando para entrar pela porta doa fundos sem que ninguém veja

nada disso interessa a coragem que busco do amor

entre esse abismo humano e social que nos separa (e nos mata) escolhi aprender a me amar,

tchau.


o que me ensina pessoa


esqueci de falar das mãos cortadas

dos dedos queimados

das canelas roxas

tantos dias trocando os pés publicamente

(talvez seja)

minha melhor insurgência


o iniciante


acordei com teu gosto na boca

não conhecia o sabor da tua culpa

nem a secura dos teus desertos




- Ardência está à venda através das redes sociais @preuparardemedoere @estudiocarlota, no Instagram, ou através do e-mail thiagomedeiros.natal@gmail.com, com envio para todo o país.

 

Theo Alves é escritor e fotógrafo, publicou vários livros de contos e poesias e atualmente é colunista do periódico Potiguar Notícias (RN). Como fotógrafo, dedica-se em especial à fotografia documental e de rua. Também ministra aulas de fotografia digital com aparelhos celulares em projetos de extensão do IFRN, onde é servidor.

A revisão ortográfica deste texto é de total responsabilidade do seu autor ou assinante da postagem publicada. A revista Escape só responde pela revisão ortográfica das matérias, editoriais e notícias assinadas por ela.

51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo