O Seminarista, de Rubem Fonseca

Atualizado: 12 de ago. de 2020

COLUNA

Sugestões de Leitura

por Elvira Hoffmann


Elvira Coelho Hoffmann estreia como Colunista e nos trará indicações de leituras. Com um breve resumo da categoria dos livros e de seus enredos, sem fornecer o spoiler, mas sim, aguçar e provocar o leitor para que consuma a leitura e deleite-se com as histórias.

Nessa primeira dica, Elvira sugere a leitura de O Seminarista, de Rubem Fonseca, que faleceu recentemente - em 15/04/2020, aos 94 anos. Contista, romancista, ensaísta, roteirista e vencedor de vários prêmios literários. Alfredo Bosi caracterizou-o numa nova corrente literária e chamou-a de brutalismo, pelas narrativas policiais, violências, crimes, infortúnios e mistérios de seus personagens, que servem como pano de fundo para uma crítica urbana e social, além das mazelas humanas.


O Seminarista, de Rubem Fonseca


A literatura policial sempre atraiu uma enorme quantidade de fãs. Desde o século XIX, com Edgar Alan Poe, o mistério e os recursos narrativos de Conan Doyle, Simenon, Agatha Christie, Ruth Rendell, Patricia Highsmith – só para citar alguns mais talentosos que criaram inesquecíveis personagens – o gênero atravessa dois séculos, sem dar sinal de cansaço.


No caso brasileiro, a figura que avulta é a de Rubem Fonseca consagrado romancista de Feliz Ano Novo e Agosto. Na obra O Seminarista, o protagonista é um matador de aluguel que ambiciona aposentar-se para desfrutar, sem remorsos, os ganhos recebidos. Educado num internato religioso (daí o nome) e dali expulso por comportamento impróprio, suas violentas atividades sempre foram coroadas de sucesso. Porém, agora o feitiço se volta contra o feiticeiro, e o personagem se transforma de perseguidor e executor em perseguido, candidato a ter o mesmo destino de suas vítimas.


O perfeito domínio da linguagem, de estilo seco e brutal e a característica narrativa quase cinematográfica transmitem ao leitor a fascinação de um submundo sempre presente e atual.

 

Elvira Hoffmann é formada em Letras e Piano. Mestre em Semiótica. Foi professora do Estado (RS) e da Unisinos. Teve também cargos de direção em ambas. Hoje, aposentada, ministra aulas como voluntária no Pró Maior da Universidade, na área de Humanidades.

A revisão ortográfica deste texto é de total responsabilidade do seu autor ou assinante da postagem publicada. A revista Escape só responde pela revisão ortográfica das matérias, editoriais e notícias assinadas por ela.

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo